August 1, 2022

Reestruturação financeira: 7 dicas para enfrentar situações difíceis

Administrar o próprio negócio pode ser um grande desafio. Afinal, toda empresa, seja qual for seu porte ou segmento, em algum momento, passa por situações adversas que afetam diretamente suas finanças. Quando isso acontece, a sobrevivência da organização tende a ficar comprometida.

Para contornar essa situação, a solução é encarar esses períodos de dificuldades como oportunidades e adotar uma reestruturação financeira. Mas como fazer isso?

Se você também tem dúvidas, não se preocupe. Nós preparamos um passo a passo completo que vai guiar essa jornada. Acompanhe!

O que é uma reestruturação financeira?

Primeiramente, precisamos entender bem o que de fato é uma reestruturação financeira. Basicamente, é um conjunto de processos implementado dentro de uma empresa com o objetivo de permitir um controle maior sobre as finanças.

Isto é, trata-se de uma estratégia utilizada em toda a estrutura financeira do negócio para permitir que ele sobreviva diante de situações adversas. Como toda empresa passa por períodos de crise, é importante que você saiba como agir nesses momentos.

Portanto, mesmo que sua empresa ainda não tenha enfrentado esse tipo de dificuldade, é essencial saber o que fazer quando esse momento chegar.

Como fazer uma reestruturação financeira na minha empresa?

Agora que você já sabe o que é uma reestruturação financeira e por que ela é fundamental para um negócio, é hora de entender como realizá-la. A seguir, descubra os passos que você deve dar para recuperar a saúde financeira do seu negócio.

1. Faça um diagnóstico

O primeiro passo para ter o controle das finanças da sua empresa é fazer uma análise profunda da empresa. Para isso, é preciso considerar tanto o setor financeiro quanto o operacional. Desse modo, você compreenderá qual é a realidade do seu negócio.

Então, faça um levantamento de todos os seus contratos com fornecedores bem como dos ativos e passivos da empresa para verificar a capacidade de geração de receita e identificar dívidas.

Para conseguir visualizar melhor a situação financeira, organize todos esses dados em uma planilha. Lembre-se: quanto mais detalhada, mais fácil será identificar onde é possível cortar custos e quais são as melhores oportunidades para gerar mais renda.

2. Analise a planilha

Com todas as informações registradas em uma planilha ou software, organize os dados em gráficos para facilitar a visualização ou acesse os relatórios. Analise com bastante atenção todas as despesas e as receitas.

Em seguida, procure identificar onde é possível economizar e de que forma sua empresa pode gerar mais receita. Por exemplo: descontinuar um produto que tem pouca demanda, eliminar o desperdício de materiais, traçar estratégias para tornar os processos mais ágeis, diminuir a quantidade de horas extras, entre outras.

3. Controle o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta que permite que o gestor acompanhe a situação financeira do seu negócio. Isso significa que ele é extremamente importante para a administração e ainda mais relevante durante uma reestruturação financeira.

Por esse motivo, é imprescindível registrar, monitorar e controlar todas as movimentações financeiras da sua empresa, mesmo aquelas que parecem insignificantes.

Fazer esse controle influencia diretamente nas tomadas de decisão, pois permite enxergar claramente de onde vem e para onde vai todo o dinheiro da empresa.

4. Elabore projeções financeiras

Quando você mantém o fluxo de caixa em dia com todos os registros, é possível fazer projeções financeiras e, assim, identificar o quanto sua empresa está preparada para enfrentar os próximos períodos.

Além do mais, isso também permite tomar decisões antecipadamente com a intenção de aproveitar oportunidades futuras ou, ainda, de tomar medidas estratégicas para minimizar os impactos negativos.

Por exemplo, se sua empresa possui algum empréstimo e as estimativas indicarem que o orçamento ficará bastante limitado nos próximos meses, vale a pena considerar a renegociação da dívida.

Para tornar a reestruturação financeira ainda mais eficaz, não se limite a projeções de curto prazo; elabore também de médio e longo prazo.

5. Considere todos os riscos

Se depois de fazer o diagnóstico e elaborar projeções você identificar que o cenário é bastante arriscado para a sua empresa, com a possibilidade de momentos ainda mais difíceis ou, até mesmo, com risco de falência, é preciso estudar a obtenção de crédito para o seu negócio.

6. Conte com boas opções de crédito

Felizmente, o mercado oferece uma série de soluções de crédito para que você tenha capital para investir em sua empresa e, assim, garantir a sua sobrevivência ou crescimento.

As principais modalidades são:

  • crédito para capital de giro — ideal para resolver problemas de curto prazo no fluxo de caixa;
  • empréstimo em garantia de imóvel — para empresas que necessitam de valores acima de R$ 30 mil, no qual o solicitante deve oferecer um bem imóvel como garantia de pagamento;
  • empréstimo com garantia de veículo — também chamada de refinanciamento de veículo, é a modalidade que requer que o empreendedor deixe seu automóvel em alienação fiduciária;
  • antecipação de recebíveis — excelente alternativa para solucionar problemas de curto prazo ou cobrir despesas emergenciais, pois consiste em receber antecipadamente os lucros previstos. A grande vantagem são os juros mais baixos e uma linha de crédito mais acessível;
  • Peer-to-Peer — a modalidade P2P liga investidores a empresas por meio de plataformas digitais de crédito. Assim, quem deseja investir faz uma análise prévia dos riscos e decidem se realizarão o empréstimo no valor solicitado;

São tantas opções que você pode até se sentir perdido, para resolver isso você pode contar com a Capital Empreendedor, através da nossa plataforma encontramos a melhor oportunidade de crédito para sua empresa de acordo com as suas características, não deixe de fazer o seu cadastro e ter acesso ao crédito mais barato do Brasil.

7. Realize a gestão de caixa

Todas as empresas dependem do seu capital de giro para permanecerem ativas no mercado, especialmente em momentos de instabilidade. Sendo assim, faça um controle diário e cuidadoso do dinheiro disponível em caixa. Lembre-se de que, em momentos de crise, a atenção precisa ser redobrada.

Além disso, aproveite para sempre verificar novas possibilidades de reduzir despesas. Acredite: sempre há como economizar, e com o passar do tempo, você terá uma visão cada vez mais aguçada para identificar essas oportunidades.

Como você viu, uma reestruturação financeira é indispensável não apenas para que uma empresa enfrente situações adversas como também para planejar o seu crescimento e, assim, conquistar cada vez mais espaço no mercado. Então, siga nosso guia e coloque em prática as dicas deste post.

Quer ter acesso a boas linhas de crédito para sua empresa? Então, faça uma simulação conosco e veja como a Capital Empreendedor pode ajudar você, em um único cadastro você compara 360 opções de crédito.

Simule grátis!

Blog
Cadastrar grátis

Nossos últimos artigos.

Sua fonte de notícias, novidades e informações sobre o mundo do crédito empresarial.