April 20, 2021

Quitação de dívidas: por que é necessário antes de pedir um empréstimo?

Quitar dívidas antes de pedir um empréstimo é fundamental

Administrar uma empresa é algo tão prazeroso quanto desafiador, ainda mais em um país com tantas oportunidades e problemas como o Brasil. Todo gestor está sujeito a enfrentar imprevistos, seja por questões internas, seja pelo mercado. Por isso, entender por que é necessário efetuar a quitação de dívidas antes de pedir um empréstimo é fundamental.

Perder o controle do fluxo de caixa do negócio, assumindo um compromisso que não cabe no orçamento, é um cenário complicado, que demanda um pouco mais de planejamento e muito conhecimento de causa para buscar uma solução. Continue lendo o post e descubra como fazer isso!

Afinal, qual o conceito de uma dívida?

O conceito de dívida está relacionado com a obrigatoriedade que uma pessoa ou instituição tem de pagar, reembolsar ou satisfazer um débito. No entanto, não é difícil saber que, na prática, a coisa é muito mais complexa e, da mesma maneira que dever muito sem programação é ruim, contrair um empréstimo para investir pode ser excepcional.

É preciso compreender as figuras envolvidas nesse tipo de relação. Quem detém o direito de recebimento do montante devido é o credor, enquanto o devedor é quem deve pagar. No universo empresarial, é crucial compreender que uma dívida, enquadrada no planejamento financeiro, pode dar a chance de fazer um investimento certeiro.

O que pode ser considerada uma dívida vantajosa?

As dívidas vantajosas são aquelas que, além de produzirem benefícios para o endividado, estão em perfeita sintonia com a organização financeira do empreendimento e que estão encaixadas no orçamento com antecedência, com a devida programação de pagamento, uma vez que já é sabido que o débito será contraído e o porquê.

Um exemplo prático ocorre quando uma empresa precisa adquirir determinado maquinário para se manter competitiva no segmento, mas não tem recursos para isso. O setor responsável ou o gestor deve fazer um plano, de forma que seja possível contrair o empréstimo e, até mesmo com o lucro do novo item, pagar as parcelas em dia até quitar o saldo.

Por que é essencial pagar as dívidas da empresa?

Já falamos melhor sobre o conceito de dívida e quando ela pode ser benéfica para uma empresa. Entretanto, sabemos que, muitas vezes, erros de planejamento ou imprevistos podem acabar fazendo com que o fluxo de caixa saia do controle e, dependendo do caso, fique inviável arcar com as parcelas de um empréstimo.

Para a instituição como um todo, esse é um cenário muito ruim. Além de desorganizar as finanças, o panorama pode incluir perda de credibilidade no ramo e até mesmo problemas mais sérios, como dificuldades em obter crédito novamente no futuro ou, mesmo com a aprovação, ter de pagar juros maiores pelo risco de inadimplência.

Sendo assim, quitar tudo o que for possível é sempre interessante, pois quando não temos como pagar, a tendência é que a situação piore e que outras dívidas acabem sendo contraídas, em um tremendo efeito de bola de neve. O gerenciamento do caixa passa a ser ainda mais importante e uma boa renegociação pode ser a sua chance de reorganizar o orçamento.

Outro fator que mostra o quão importante é quitar ou negociar dívidas antes de pedir um empréstimo é porque as pendências financeiras tendem a influenciar na hora da aprovação como PJ, os birôs de crédito do Banco Central estão autorizados a disponibilizar informações de devedores, como o Serasa e SCR.

Quais as melhores dicas para a quitação de dívidas?

Agora que você já está mais familiarizado com o tema, vamos dar algumas dicas práticas para que você e sua empresa possam partir para a quitação de dívidas. Felizmente, com um pouco de organização e aportes estratégicos, é perfeitamente possível fazer isso. Acompanhe.

1. Comece com a organização

O primeiro passo para investir na quitação de dívidas é, sem sombra de dúvidas, apostar na organização. Quem tem problemas em saber quanto deve, quanto ganha e quanto gasta, invariavelmente, estará fadado a ter problemas. Por isso, faça um bom levantamento e saiba, na ponta do lápis, tudo aquilo que precisa ser pago.

Dependendo do caso, pode ser necessário ligar para os credores para conhecer os valores atualizados. Cheque também o faturamento mensal do seu empreendimento e os gastos fixos, para saber, ao certo, quanto entra e quanto sai do caixa todos os meses. Depois, é hora de realizar alguns cortes e/ou procurar alguma forma de obter mais renda.

2. Contate os credores e renegocie

Contatar os credores não é importante apenas para saber os valores atualizados das suas dívidas, mas também é uma oportunidade de ouro para renegociar os pagamentos. Não aceite, necessariamente, o primeiro acordo que oferecerem e lembre-se de obter o máximo de informações para saber o que vale ou não a pena.

Faça perguntar úteis como os juros das parcelas, os descontos em relação ao débito original, qual é o trâmite para sua marca ficar com o nome limpo e se existe um abatimento considerável para pagar à vista. Depois de tudo, se você ainda estiver com dúvidas, solicite tudo por escrito para aferir com mais calma.

3. Crie uma reserva de emergência

Ter uma reserva de emergência é algo muito importante para qualquer empresa ou mesmo para uma pessoa comum, tendo em vista que nunca estamos livres do risco de nos depararmos com algum imprevisto. Os recentes eventos da pandemia de Corona vírus mesmo, por exemplo, só reforçaram a importância desse recurso.

Logicamente, isso nem sempre é simples de ser feito, ainda mais se você estiver endividado. Porém, já existem linhas de crédito para este tipo de situação no mercado. É claro que as taxas se apresentam maiores do que para alguém que não possui dívidas pendentes, mas elas podem ser uma boa opção caso o custo efetivo total não atrapalhe o caixa mais do que ajude. 

Uma das modalidades mais comuns nestes casos é o empréstimo com Garantia de Imóvel, por oferecer o crédito com juros bem mais baixos do que em outras modalidades. Assim, o empreendedor pode começar a quitar as dívidas mais caras.

Por isso, em uma crise, faça um planejamento dos recursos da empresa. É importante criar hábitos que podem ajudar o seu negócio a não fechar as portas, como: eliminar gastos desnecessários, juntar cada sobra que puder e deixar separado para uma emergência ou necessidade.

Como você pôde ver, o gestor inteligente não deixa de apostar na quitação de dívidas, compreendendo que os empréstimos podem ser uma mola propulsora para o sucesso, mas que isso precisa ser planejado dentro do orçamento.

Gostou de aprender por que é necessário fazer a quitação de dívidas antes de pedir um empréstimo? Então, que tal compartilhar o post em suas redes sociais?


Simule grátis!
Acesse nosso blog

Nossos últimos artigos.

Sua fonte de notícias, novidades e informações sobre o mundo do crédito empresarial.